Textos: Ana Catarina Silva     //      Fotografia: Carlos Brum Melo

ana catarina, a viajante

nasceu depressa tal a vontade de ver o mundo!
criou-se numa casa em frente a uma linha ferroviária. ao contrário dos que se mostravam preocupados com o ruído dos comboios, ela via em cada passagem, mil histórias por contar.
um dia, sem malas feitas e apenas com bilhete de ida, seguiu num desses comboios, sabendo que flanaria pelo mundo em busca de histórias.

carlos, o viajante ilustrador

com a bruma nas veias, e do longe da insularidade, avistou no mar uma miríade de futuros.
ao pôr do sol, montava e desmontava sonhos até que decifrou que o seu rumo assentava na descoberta da complexidade do mundo e das relações entre os povos.
na sua alma guardava a chave da sua expressão: a fotografia.
e dizem que nunca mais parou!

Anúncios